top of page
  • mario

7a. Aula de Mediunidade

Juntando Peças da Mediunidade


Foi aos 06 anos que me deparei com a mediunidade dentro do meu lar com incorporações descontroladas da minha progenitora, pois em muitos momentos eu não sabia se era ela ou espíritos que estavam falando conosco e em outras vezes eu logo percebia não ser ela porque falava em línguas estrangeiras, mas sempre um deles intervinha e me pedia para rezar o Pai Nosso pois eu era um socorrista.


Com o tempo eu fui aprendendo a lidar com eles e com os fenômenos físicos que aconteciam em minha casa, pois eram batidas, movimentações de objetos, visões, inchaços estranhos no corpo da minha progenitora e coisas que eu passei a falar, sem saber, e que estavam relacionados com a vida de outras pessoas.


Ao fazer 10 anos, estávamos passeando na cidade e meu pai disse para escolher um presente e pedi um livro e quando entramos numa livraria, eu escolhi o livro “Parnaso Além-túmulo” que se tratava de poesias psicografadas pelo Chico Xavier que me despertou a ler também os livros de Kardec que era o que tinha em minha casa.


Passamos a frequentar um centro de “mesa branca” de fundo de quintal e o trabalho era bem simplório; era um grupo de seis pessoas que se sentavam a mesa, liam o evangelho, sem interpretação e iniciava-se as incorporações com doutrinações. Este era o trabalho que frequentei por alguns anos até que meus pais resolveram frequentar um outro local no mesmo estilo.

Nesta época alguns parentes e amigos seguiam a Umbanda onde cheguei ir algumas vezes tanto para assistência dos trabalhos como para consultas, onde fazia uma serie de comparações e análises do que acontecia ali com as obras que eu tinha lido de Kardec e da casa onde frequentamos.


Já na fase juvenil passei a frequentar o Centro Espírita Perseverança, depois a Federação Espírita de São Paulo. Dali parti para uma serie de trabalhos voluntários em grupos de assistência social, Hospital Emilio Ribas e sempre me vi acompanhado pelos fenômenos físicos, porém sempre levados com naturalidade.


Já adulto, passei a frequentar o Centro Espírita Maria de Magala, Lar de Emmanuel, Pequeninos de Jesus. Em todos estes locais busquei me entregar ao máximo como voluntário participando de todos os trabalhos que me eram permitidos.


Assim cheguei ao Bom Caminho, percorrendo um caminho mediúnico com naturalidade, com certeza de proposito, com idealismo na relação entre os mundos materiais e espirituais e buscando, constantemente, estudos, pesquisas e aprimoramento da minha intuição.


Então, hoje, eu sei tecnicamente todos os fenômenos que me acompanharam desde a infância como mediunidade da cura, efeitos físicos e de intuição. Ao longo dos estudos e dos trabalhos a minha intuição foi e vem sendo aprimorada e é por intermédio dela que dirijo a nossa seara bendita.


Então queria dizer a todos os médiuns desta seara que não percam a espontaneidade e a simplicidade de suas percepções mediúnicas, querendo entrar por caminhos esotéricos, mirabolantes, fenomenologias, que não levam a nada.


O importante acima de todas as percepções é a sua intenção de querer ajudar alguém que necessite e que você tenha fé que você pode ajudar de todas as maneiras possíveis se colocando à disposição da espiritualidade amiga, mesmo sem percebê-la ao seu lado.De nada adianta, trazermos à tona, o que já fizemos aqui ou acola, o que sentimos ou deixamos de sentir, os lugares que frequentamos, se não aprendemos a ver tudo isso como aprendizados, estágios, peças que se juntam para que o Pai possa agir por estes intermédios.


Então ao entrar no centro espírita, queira ali estar, tenha a intenção de querer ajudar, seja na recepção, na entrevista, no passe, na palestra, na evangelização, na livraria ou na lanchonete pois em todos os lugares você será uma peça mediúnica a favor de um trabalho muito maior que não conseguimos as vezes explicar ou perceber.


Dentro disso tudo não de lugar para vaidade, querer ser o melhor, se exibir, querer mostrar conhecimentos teóricos ou práticos e ser diferente, pois sempre seremos “apenas” uma peça que pode ser substituída a qualquer momento neste grande quebra-cabeça.


Eu aprendi a observar, olhar, pesquisar, estudar e entrar na essência das coisas para poder entender que a simplicidade de servir nos torna maiores e com poderes de impactar e transformar outras almas que caminham ao nosso lado.


Então se dediquem, deixando os bloqueios e medos de lado; acreditem em vocês e neste Deus de misericórdia que nos usa e abusa ao favor dos seus outros filhos necessitados; não deixe, nunca, a vaidade, invadir seu coração, pois ela é um corrosivo que destrói o mais rápido que possamos imaginar.


Seja médium do amor para o exercício do amor !


66 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

11a. Aula - Reflexão Mediunica

Analise da Mensagem do Mentor da nossa seara recebida em 30/10: Quando se fala de mediunidade e se desenvolve a mediunidade devemos sempre ter o cuidado com uma linha muito tênue entre a humildade e a

10a. Aula Mediunidade

No capitulo de hoje quero chamar a atenção aos nosso comportamentos, enquanto espíritas, diante daqueles que estão tendo os primeiros contatos com a doutrina ou com a mediunidade. As pessoas se apres

9a. Aula reforço de Mediunidade

MEDIUNIDADE, METAPSÍQUICA E PARAPSICOLOGIA Os fenômenos psíquicos (do grego psyché: alma, espírito), estudados pelo Espiritismo, pela Metapsíquica e pela Parapsicologia têm como agente o Espírito, ser

1 comentario


Miembro desconocido
13 sept 2022

Mais uma vez agradecer todo o aprendizado que a casa proporciona e todo o crescimento espiritual que ela nos trás. O curso de Desenvolvimento Mediúnico nos ensina a como sermos ótimos médiuns e tudo depende de nossa vontade e nossa fé.

Me gusta
bottom of page